Apresentação

Karl Rahner afirmou que o cristão deste milénio seria um místico ou não seria cristão. Também se sabe que a “arquitetura” espiritual de um místico só se transforma numa realidade viva interior quando for… interiorizada.
A maioria dos mestres de espiritualidade sublinha que, para se alcançar uma vida interior profunda, é necessário algum distanciamento que, juntamente com a concentração e a simplicidade, constituem os «exercícios espirituais», expressão aqui utilizada em termos genéricos para se referir a todas as modalidades. Estes exercícios são para o espírito o que os desportos são para o corpo. Num tempo em que se privilegiam os percursos pedestres para aliviar o corpo do stress quotidiano, não deveria estar fora de moda aquela aquisição da pureza do coração que torna possível uma apropriação das realidades que escondem o mistério do Homem.
Ora, que Deus revela o Homem ao próprio homem é o que descobrimos no encontro de Jesus Cristo com a samaritana (cf. Jo 4), e o dom da água viva que restitui ao ser humano a verdade que o restaura e anima no caminho para a sua realização plena.
É para sermos mais responsáveis como discípulos que, dentro do espírito do novo ano pastoral «favorável», surge a oferta de exercícios espirituais no Seminário Maior de Viseu, com modalidades diversas.